Biografia - Década de 90

1990 - Pede demissão da Bloch, ficando apenas como cronista em regime de free-lancer na revista Manchete. Ainda como free-lancer, dirige a edição comemorativa do número 2.000 da revista.

1991 - Problema com a saúde. Retorna ao trabalho preparando a edição comemorativa dos 40 anos de Manchete e o álbum oficial ( ONU e governo do Estado) sobre o Rio de Janeiro para a Eco-92. Em outubro, pela segunda vez acompanha o papa desde Roma em sua visita ao Brasil.

1992 - Elabora projetos especiais para a Rede Manchete de TV e a editora Bloch.

1993 - A convite de Jânio de Freitas, recomeça a colaborar na Folha de S.Paulo.

1995 - Escreve Quase Memória, que é lançado em setembro pela Companhia das Letras.

Cony e suas duas seters Mila e Titi
Cony e suas duas seters Mila e Titi

1996 - Escreve O Piano e a Orquestra. Ganha o Prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras e o Prêmio Jaboti, da Câmara Brasileira do Livro. Assina contrato com a Gallimard para a edição francesa de Quase Memória e com a produtora Skylight para a filmagem do mesmo. O romance é eleito o Livro do Ano pela Câmara Brasileira do Livro

1997 - Ganha o Prêmio Nacional Nestlé de Literatura. na categoria de "autor consagrado", com o romance O piano e a orquestra. A Companhia das Letras, sua nova editora, relança Pessach: a travessia em abril e, em setembro, lança seu novo romance, A casa do poeta trágico, que ganha novamente o Jabuti e é eleito Livro do Ano.

Cony na lagoa Rodrigo de Freitas
Cony na lagoa Rodrigo de Freitas

1998 - Participa como convidado do governo francês da Feira do Livro de Paris. Ganha o grau de cavalheiro da Ordre des Arts e des Lettres. Cobre a Copa do Mundo da França para a Folha de S.Paulo. Participa da Feira do Livro de Barcelona. Lança pela editora Record o livro de crônicas Os anos mais antigos do passado. Em dezembro, interrompe o romance Messa por papa Marcello para escrever a novela Romance sem palavras, com lançamento previsto na Bienal do Livro, em abril de 1999.

1999 - Lança na Bienal a novela Romance sem Palavras, Editora Cia das Letras e em novembro sai pela editora Objetiva o livro de Crônicas O Harém das Bananeiras.